Tiago Mestre Portugal, 1978

Formado em arquitetura, a obra de Tiago Mestre está diretamente ligada à espacialidade e aos aspectos escultóricos da arte. Em geral, utiliza a escultura e a instalação para estabelecer diálogos entre espaço e objeto, e embora as pinturas não sejam o suporte predominante do conjunto da obra, se apresentam como um contra-campo que alimenta a sua  pesquisa. A pintura - assim como o desenho - reside em um lugar menos programático e mais lúdico, uma ferramenta de negociação que permite o exercício do pensamento e da prática artística.

 

Segundo a curadora Kiki Mazzucchelli “Há em seus trabalhos uma certa autoironia que revela uma espécie de ceticismo quanto ao alcance crítico da atividade artística, já que esta normalmente opera dentro de circuitos ainda mais elitistas do que a arquitetura, cuja face pública é muito mais perceptível em nosso cotidiano. No lugar de uma assertividade de intenções, Mestre prefere cultivar uma situação polifônica e dinâmica, em que o espectador é constantemente levado a indagar sobre aquilo que vê, sem nunca encontrar uma resposta definitiva.”